Pular para o conteúdo
Voltar

Ipiranga do Norte comemora aniversário com investimentos do Governo do Estado em obras

Foram pavimentados 67,65 km e está previsto a restauração de km da MT 010, beneficiando o município cuja safra agrícola detém o 32º maior valor de produção do país
Jairo Sant'Ana | Secom-MT

- Foto por: Prefeitura Municipal
A | A

Ipiranga do Norte, com 7.920 habitantes e distante 430 quilômetros de Cuiabá, comemora 21 anos como município nesta segunda-feira (29) com ações do Governo do Estado, principalmente em infraestrutura rodoviária para escoar sua safra agrícola, cujo valor de produção é o 32º maior do país.

Por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), foram pavimentados 22,14 quilômetros da MT-010, no trecho entre o entroncamento da MT-484 com o entroncamento da MT 242, interligando o município a Lucas do Rio Verde e à BR 163. O Governo do Estado investiu R$ 9,2 milhões, com contrapartida de R$ 1,3 milhão da prefeitura.

Também foram pavimentados 45,51 quilômetros da MT-242, entre o município e Itanhangá, com investimento de R$ 26,8 milhões. Ambas as obras são resultados de parceria entre Governo do Estado e município. Em 2020, foram firmados 12 termos de cooperação desta natureza.

Saúde e repasses

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) repassou ao município 650 testes rápidos para detecção do coronavírus e medicamentos para combatê-lo, num total de 28.061 comprimidos, entre azitromicina (3.450), ivermectina (2.760) e dipirona (21.851), também distribuído em gotas, com 537 frascos.                 

Entre 2020 e 2021, o Governo do Estado repassou R$ 24,3 milhões aos cofres municipais em ICMS, IPVA e Fethab, além de R$ 1,39 milhão em assistência social, transporte escolar e convênios na área de saúde, entre 2019 e 2020.

Economia

O setor agropecuário, com R$ 453,379 milhões, e serviços (R$ 257,117) respondem por quase a totalidade (83,9%)  do Produto Interno Bruto (PIB) municipal registrado em 2018 pelo IBGE – R$ 846,86 milhões.  Na sequência, impostos (R$ 60,273 milhões), administração (R$ 51,057 milhões), e indústria (R$ 25,032 milhões) fecham a soma.

O PIB per capita, quarto maior de Mato Grosso, e 53º do país, é de R$ 114.517,97.

A posição de 32º município brasileiro com maior de valor produção agrícola é justificada pela colheita, em 2019 conforme dados do IBGE, de 838,5 mil toneladas de milho; 686,4 mil de soja (respectivamente, sétima e 14ª maiores de Mato Grosso) e 62,9 mil de algodão.

Em menor escala, produz ainda (em toneladas) arroz (3.480), feijão (6.720), girassol (900), mandioca (150), melancia (180), sorgo (1.800), tomate (180), limão (691, primeiro do ranking estadual) abacaxi (240 mil frutos) e coco-da-baía (24 mil frutos).

Na pecuária, possui rebanhos suíno com 155,9 mil cabeças, das quais 10,13 mil matrizes; bovino com 14.243 cabeças, das quais 250 vacas ordenhadas e uma produção de 453 mil litros de leite; galináceo com 21.675 cabeças, das quais 7.476 galinhas e uma produção de 37 mil dúzia de ovos; 2.827 ovinos; e 3,8 toneladas de mel de abelha; Possui ainda uma área de 220 hectares com plantação de eucalipto. O extrativismo resultou em 105 m3 de lenha e 9.676 m3 de madeira em tora.    

História

O município surgiu do Projeto Ipiranga de colonização, desenvolvido em Tapurah. Com o crescimento econômico e populacional conseguiu a emancipação política, pela Lei Estadual 7.265, de 29 de março de 2000, resultante de um plebiscito, já com o nome de Ipiranga do Norte, desmembrado de Tapurah.

Não houve eleição municipal em outubro de 2000, adiando a instalação da sede, que se manteve com as funções de distrito de Tapurah. O município foi, finalmente, instalado em 1º de janeiro de 2005,  formado por famílias vindas principalmente do Sul e Sudeste (gaúchos, catarinenses, paranaenses e paulistas), em busca de oportunidades oferecidas pelo agronegócio.