Pular para o conteúdo
Voltar

“Ferrovia em MT vai influenciar a vida e economia de todos os brasileiros”, afirma Geller

Construção da ferrovia estadual vai baratear custo do frete, que impacta diretamente no preço dos insumos
Karine Miranda | Sinfra-MT

- Foto por: Christiano Antonucci/Secom-MT
A | A

O deputado federal Neri Geller considerou que a implantação da 1ª Ferrovia Estadual em Mato Grosso vai proporcionar reflexos para além do território mato-grossense, com benefícios para todo o Brasil e brasileiros. Isso porque a ferrovia vai complementar a infraestrutura e a logística do Estado e proporcionar maior facilidade para o escoamento da produção do agronegócio mato-grossense. 

Situação que impactará diretamente na redução do custo do frete, já que o transporte de cargas no Estado por meio da ferrovia será mais rápido, ininterrupto e mais seguro quando se comparado ao transporte pelas rodovias, visto que as cargas transportadas pelas rodovias estão suscetíveis a roubos, além dos caminhões e carretas passíveis de acidentes. 

Já a redução do custo do frete vai refletir diretamente no preço dos produtos que são consumidos pelos brasileiros. Hoje, Mato Grosso é um dos maiores estados produtores do Brasil. Somente na safra 2019/2020, Mato Grosso produziu aproximadamente 74 milhões de toneladas de grãos, como apontam os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

“Com certeza tem apenas um ‘setor’ que ganha, que é a população mato-grossense e a economia do país. Isso não é projeto de Estado, vai influenciar a vida e a economia de todos os brasileiros. Parabéns à Assembleia Legislativa e ao governador. Com certeza estaremos juntos em outros projetos que são importantes para o Estado. É a consolidação da mudança do novo perfil de transporte do país, que é a ferrovia. Com certeza é um sonho de todos nós e todos os mato-grossenses, mas principalmente, dos produtores de médio e pequeno portes”, disse Geller.

Ainda segundo o deputado, a iniciativa do governo do Estado de assinar contrato junto à empresa Rumo S/A para a construção da ferrovia vai possibilitar a implantação da malha ferroviária em Mato Grosso de forma mais célere, quando comparado ao projeto da Ferrogrão, que ainda está em discussão no âmbito da União, por exemplo.

A construção da ferrovia estadual prevê 730 quilômetros de linha férrea que vão interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, e que vão se conectar à malha nacional, em direção ao Porto de Santos (SP). O investimento para essa obra será de R$ 11,2 bilhões, cujos recursos são integramente da iniciativa privada.

“Estamos felizes pelo [governador] Mauro ter liderado e ter tomado essa decisão. É uma ferrovia estadual e assim tem que se estender para outros estados. Ramais que precisam ser implantados e que possam ser construídos com menos burocracia, mais eficiência e com mais rapidez. Eu estou muito contente e otimista com o Estado de Mato Grosso”, encerrou Neri Geller. 

A previsão é de que o início das obras de construção da ferrovia estadual ocorra em 2022. O trecho entre Rondonópolis e Cuiabá tem previsão de conclusão de obras e o respectivo funcionamento no ano de 2025; enquanto a operação no trecho Cuiabá a Lucas do Rio Verde deverá começar em 2028. A estimativa é de que mais de 230 mil empregos sejam gerados, direta ou indiretamente, durante o período de obras.

Uma vez implantada a ferrovia, a Rumo S/A fica autorizada a explorar a ferrovia pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado. Ao menos, 26 municípios que estão as margens do traçado da ferrovia serão beneficiados diretamente com a implantação da malha ferroviária.